O poder das palavras

Eu estava isolada, fria e inacessível, a confusão mental

a perda do sentido da vida, a angústia e a dor emocional

reduziram-me a cinzas por um tempo, tempo requerido

para meditar, interiorizar e criticar meu estado sucumbido

Ouvi então palavras, que preencheram frases, afavelmente

ditas com sabedoria, sentido prático e empatia, eloquente

discurso: “não quero uma alma dormente, quero inteireza

eu sei que a vida pode roubar a líbido, que, com subtileza

por sua vez, rouba o prazer de viver, de sentir, de querer,

não quero nada forçado mas sim espontâneo”, alegre romper

das cordas que amarraram meus punhos, secas se desataram

porque minhas lágrimas eram chamas vermelhas, queimaram

os nós e cicatrizaram as feridas abertas da crispação e da dor

eu oiço essa voz amiga, essas palavras poderosas em pormenor

no calado do silêncio, sinto o renascer da motivação para viver

sinto o renascer do prazer na vida, de seguir adiante e reerguer!

Dedico este poema ao meu amigo Alberto Neto em agradecimento, com estima e carinho.

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.