O Renascer da Fênix

Beija-flor Cigano

Águia fênix

Estou no canto, em pranto,
Desiludido… Vivendo
Um momento triste
Que de minha alma aflora,
Chora.

O vento bate forte como se eu
Estivesse com meu barco
Balançando nas ondas agitadas
De um mar bravio.

Em terra, que não é mais firme,
O vento chegou, derrubando
As flores do meu jardim.
E a ave que habita em mim,
Não tem força para alçar
Seu belo voo.

Mas, preciso me levantar.
Sou peregrino da vida, nobre
Cavaleiro, tenho que acreditar.
Ter fé que este vendaval que se abateu
Sobre minha vida vai passar,
Florescendo as flores do meu jardim,
Vindo à tona, todo o amor latente em mim.

Então, a grande ave soberana
Que habita em meu ser poderá
Mostrar seu belo voo de liberdade pelo ar,
Num lindo céu azul
Tal qual a Águia Fênix, ressurgindo,
Renascendo para a vida,
Na chama verde da esperança.

Elias Akhenaton.

Ver o post original

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s