Leito 14

ESTRANHAMENTE

Leitos de hospitais na penumbra da morte. Um açoite, uma emboscada. Pernas quebradas, cabeças baleadas, velhos andando de mãos dadas em direção ao nada, o sangue sendo colhido numa seringa transparente, o soro pingando gota a gota direto nas veias. Eu vejo dor, eu vejo o desespero, eu sinto a senhora morte açoitando-me enquanto peno em cima de uma cama hospitalar jogada ao esquecimento num corredor qualquer, cheio de desgraça em volta. Não há muito o que se dizer… depois desta noite, não mais.

Olhos de tormento. Esquecimento. Lágrimas. Gritos. Sorrir, não mais!

A vida já tomada pelo tempo é a única coisa sã em Sra. Benedita; vulgo: Leito 14.

Ver o post original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s